SmartWalk

SmartWalk

SmartWalk: Cidades Inteligentes para Cidadãos Sénior Ativos

SmartWalk: Smartcities for Active Seniors

ABSTRACT:

SmartWalk aims at increasing the quality of life of elder population by creating tools to monitor and help preserving functional capacities. The increase of elderly population makes a pressing matter the promotion of healthy aging, with autonomy and independence, and preserving functional capacities. Active Aging is a priority area of the Health 2020 policy of the EU. Additional to this concept exists the concept of Aging in Place that reflects the desire of be at home while aging. SmartWalk proposes the creation of a physical activity monitoring system for smart cities (SC). It comprises mobile devices to acquire and transmit biometric data to a server via existing SC communication infrastructure, for a trustworthy and free service. A back-office application allows health professionals, and relevant institutions, to see the data and propose small routine changes to promote the adequate physical condition, if necessary. The proposals are communicated to users via their mobile device.

Domínio Científico Principal: Ciências da Engenharia e Tecnologias

Área Científica Principal: Engenharia Eletrotécnica, Eletrónica e Informática

Área Científica Secundária: Engenharia de Comunicação e de Sistemas

PARCERIA:

UNIVERSIDADE DE AVEIRO

MUNICíPIO DE ÁGUEDA

INSTITUTO POLITÉCNICO DE LEIRIA

INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA

GLOBALTRONIC – ELECTRÓNICA E TELECOMUNICAÇÕES S.A.

INVESTIGADOR RESPONSÁVEL IPC:

ANA RITA TEIXEIRA (ESEC)

FINANCIAMENTO:

Investimento elegível global: 118.410,00 €

Investimento elegível IPC: 2.384,66 €

DESCRIÇÃO SUMÁRIA:

O SmartWalk visa a criação de um sistema de monitorização de bem-estar e atividade física no contexto de Cidades Inteligentes (CI). A proporção de idosos na Região Centro está a aumentar, tal como noutras regiões portuguesas e europeias. Em 2011 o censo Português mostrou que 22,5% da população da Região Centro tem 65 anos ou mais. O aumento de idosos leva à necessidade de promover um envelhecimento saudável, com autonomia e independência, e preservando a capacidade funcional. Adicional ao conceito de Envelhecimento Ativo é o conceito de Envelhecimento no Lugar que resulta do desejo das pessoas permaneçam nas suas casas à medida que envelhecem, apesar de eventuais declínios na saúde física e cognitiva.

Este projeto reúne a experiência de atores regionais em CI e o conhecimento das escolas politécnicas sobre envelhecimento, a aquisição e proteção de dados, design de interfaces de utilizador e avaliação de usabilidade de sistemas. O sistema de monitorização será implantado em Águeda, um CI Humana que é um membro do consórcio Open e Agile Smart Cities. Águeda tem uma infraestrutura de comunicação de dados espalhados por 700 luminárias no centro da cidade, que irá expandir-se no início de 2017, para chegar a áreas menos densamente povoadas.

As várias entidades irão contribuir para a criação do sistema de monitorização central ao projeto da seguinte forma:

– Município de Águeda (MA) fornecerá suporte ao uso da infraestrutura de CI para transmitir dados para um servidor central, permitindo um serviço confiável e livre para os beneficiários. Irá também ajudar a encontrar potenciais utilizadores através da sua Rede Social;

– Globaltronic vai ajudar o MA a fazer os ajustes necessários a este projeto na infraestrutura de CI. É uma fornecedora de eletrónica envolvida no desenvolvimento de infraestrutura de CI de Águeda desde a sua criação;

– A escola de Águeda (ESTGA) vai fazer a configuração do servidor central, usando hardware já existente. Vai criar um back-office baseado na web (BO) para os profissionais de saúde, e instituições autorizadas, verem informações clínicas dos utilizadores, bem como os respetivos dados biométricos;

– A escola de saúde de Aveiro irá ajudar o MA a selecionar os potenciais utilizadores e definirá os parâmetros biométricos relevantes a serem recolhidos, tais como o número de passos, pressão arterial, e movimentos para cima e para baixo durante uma caminhada. Estará envolvida na avaliação da usabilidade do sistema;

– O IPLeiria vai liderar o desenvolvimento da aplicação para os idosos, que será desenvolvido em estreita cooperação com o IPCoimbra e a ESTGA. O sistema permitirá sugerir caminhar mais ou mais continuamente, ou fazer mais movimentos para cima e para baixo. Além disso, será possível sugerir as rotas predefinidas mais adequadas a cada participante.

Este estudo será conduzido em conformidade com o protocolo, a Declaração de Helsínquia, as Boas Práticas Epidemiológicas e Leis e Regulamentos aplicáveis

Período de execução

Data de início: 31.03.2017

Data de termo: 31.08.2018

Localização

Centro: 100 %

 


Comments are closed