PPS2

MobFood: PPS2 Resíduos e Utilização Eficiente de Recursos

Mobilização de conhecimento científico e tecnológico em resposta aos desafios do mercado agroalimentar

SISTEMA DE INCENTIVOS À INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO (SI I&DT)

SI-47-2016-10

LISBOA-01-0247-FEDER-024524

PARCERIA:

EMPRESAS

I.T.S. – INDÚSTRIA TRANSFORMADORA DE SUBPRODUTOS, S.A.

SEBOL – COMÉRCIO E INDÚSTRIA DE SEBO, S.A.

A POVEIRA

PRIMOR

VITACRESS

ENTIDADES DO SCTN

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA – ESCOLA SUPERIOR DE BIOTECNOLOGIA

BLC3 EVOLUTION, LDA

FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DA UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA

INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA-ESAC

CIIMAR

UNIVERSIDADE DO MINHO

INVESTIGADORES RESPONSÁVEIS IPC:

CARLOS JOSÉ DIAS PEREIRA (ESAC)

INÊS SEABRA NUNES VICENTE (ESAC)

FINANCIAMENTO:

Investimento Elegível Global: 7.291.383,60 €

Investimento Elegível IPC: 129.704,44 €

DESCRIÇÃO SUMÁRIA:

Caracterização e fundamentação técnica do PPS com identificação de objetivos e metas (quantificar sempre que possível) e justificação da sua oportunidade e pertinência, identificando os Promotores do consórcio envolvidos.

O PPS2 integra a VALORIZAÇÃO DE RESÍDUOS E UTILIZAÇÃO EFICIENTE DE RECURSOS, respondendo a um dos grandes desafios do setor Agroalimentar da atualidade, e que se alinha com áreas transversais de grande relevância atual como a Economia Circular e a Bioeconomia.

Na verdade, atualmente ao longo da cadeia alimentar, cerca de 1/3 dos alimentos produzidos são desperdiçados/rejeitados o que requer soluções urgentes, envolvendo a redução de desperdícios, utilização eficiente de recursos e a valorização de resíduos, subprodutos e efluentes. Vários projetos decorreram já no passado na valorização de subprodutos e efluentes executados por empresas agroalimentares em parcerias com as entidades de I&D, mas que não avançaram o suficiente na criação de soluções sustentáveis, para a resolução adequada de muitos dos problemas do setor. A grande variabilidade de subprodutos e efluentes gerados no setor Agroalimentar dificulta o desenvolvimento de soluções integradoras, mas alarga a possibilidade de utilizadores finais das soluções desenvolvidas. Parte deste PPS foi criado para dar continuidade ao projeto QREN co-promoção ValorIntegrador, de curta execução (12 meses), que integrando 12 parceiros na área de valorização de subprodutos, permitiu encontrar algumas soluções inovadoras, mas não conseguiu abordar subproduto/efluentes críticos, que serão exploradas neste projeto. Assim, este PPS integra 7 empresas relevantes do setor – fornecedoras de subprodutos e efluentes de carne (CENTRAL CARNES e PRIMOR), de peixe (POVEIRA), de vegetais (VITACRESS), uma empresa de transformação de subprodutos para a alimentação animal (que espera explorar novas aplicações no setor alimentar, cosmético e médico) (SEBOL e ITS), empresa especializada em biorefinaria com desenvolvimento de soluções à escala semi-industrial (BLC3) envolvendo neste projeto a pirólise, compostagem e secagem. A PRIMOR, POVEIRA, VITACRESS, SEBOL e ITS partilham elevado interesse de integrar as soluções e produtos finais preconizadas no projeto. Para que o projeto seja de alta integração do consórcio, a I&D foi organizada em 4 linhas principais, onde as empresas partilham soluções e produtos:

1 – valorização de subprodutos proteicos com custos de eliminação (sangue, pêlo e soro de sangue – CENTRAL CARNES, PRIMOR, SEBOL e ITS) e com soluções atuais de baixo valor (farinhas de sangue e osso – SEBOL e ITS)

2 – valorização de subprodutos vegetais (VITACRESS, PRIMOR e POVEIRA)

3- valorização de aromas gerados em condensados de processamento industrial (SEBOL e ITS, POVEIRA)

4 – utilização eficiente e valorização de efluentes (PRIMOR e POVEIRA, SEBOL e ITS). Como produtos finais salientam-se a criação de (i) vários ingredientes ricos em proteínas e péptidos com potencial nutricional e funcional validados, dependendo da sua perfil e qualidade, para aplicação humana (alimentação, cosmética e biomédica) e animal, (ii) aromas de aplicação na alimentação humana e animal, (iii) lípidos funcionais, (iv) preparados congelados e desidratados vegetais com diferentes valores nutricionais e funcionais e (v) produtos inovadores funcionais e convenientes formulados com base nos ingredientes anteriores com desempenho funcional e bioativo para industria alimentar (carne, peixe e vegetais), alimentação animal e produtos para cosmética e médica, e (vi) diferentes processos integrados de recuperação de água e valorização de efluentes.

O projeto usufruirá de novas tecnologias e soluções de fracionamento e hidrólise nunca aplicados a alguns dos subprodutos (membranas, pirólise e autohidrólise).

As entidades de I&D integram-se e complementam-se na sua multidisciplinariedade para responder aos desafios colocados pelas indústrias em cada subproduto – A ESB com larga experiência de valorização de resíduos aplicará sobretudo a sua capacidade de caraterização de composição, bioatividade e funcionalidade dos ingredientes produzidos com apoio na formulação de novos produtos alimentares e animais, com apoio na recuperação de efluentes de salmoura e do processamento e carne. A UNL integra com a sua experiência de membranas a valorização de condensados em criação e novos aromas e apoio na recuperação de efluentes, bem como O IPC/ESAC que com a existência de um sistema piloto de membranas, apoiará grande parte do fracionamentos de extratos proteicos e peptídicos e lipídicos e recuperação de água.

Ainda A UMinho aplicará as novas tecnologias avançadas para assegurar métodos mais eficientes de extração e hidrólise, e através da sua equipa da biomédica, desenhará novas soluções de aplicação dos ingredientes de alto valor no desenvolvimento de biomateriais. Finalmente, a realização dos ensaios de nutrição com peixes ficará então a cargo do CIIMAR, dada a sua larga experiência em estudos de nutrição de peixes.

Localização:

Norte: 60,47%

Centro: 21,24%

Lisboa: 10,74%

Alentejo: 7,55%

 

 


Comments are closed